Governo federal entregou 17,5% dos leitos de UTI alugados que foram prometidos para enfrentar a Covid-19

Segundo o Ministério da Saúde, escassez de respiradores é o motivo do atraso; entre os que foram entregues, distribuição é desigual: 15 estados não foram contemplados. Em março, a pasta prometeu locar até 2 mil leitos de cuidado intensivo.


Ministério da Saúde entregou, até 24 de abril, 350 dos 2 mil leitos
de UTI prometidos para o enfrentamento da pandemia do novo 
coronavírus. O número representa 17,5% do total. O compromisso 
de entrega foi feito no mês passado, antes da demissão do agora ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta.

O ministério afirma, inclusive, que um dos editais para compra do
material não teve empresas interessadas por causa da 
Segundo os dados do governo, até 24 de abril, 15 estados 
(Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Ceará, Espírito Santo, 
Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Paraíba, Piauí, Rondônia,
Roraima, Sergipe e Tocantins) e o Distrito Federal 
não haviam recebido nenhum leito.

Os leitos, que seriam específicos para o combate à Covid-19,
 foram anunciados em 12 de março pelo então secretário-executivo 
 do ministério, João Gabbardo, que afirmou que eles seriam entregues
 conforme a necessidade de cada estado.

g1 paraíba

Nenhum comentário

Faça seu comentário

Tecnologia do Blogger.