Desembargador João Benedito derruba decisão de juíza e mantém proibição de entrada de turistas e visitantes em Conde

O desembargador João Benedito da Silva derrubou a decisão da juíza Lessandra Nara Torres Silva de suspender, a partir dessa sexta-feira (17), a barreira sanitária imposta pela Prefeitura de Conde a qual impedia a entrada de turistas no município. Conforme documento obtido com exclusividade pelo ClickPB, o Ministério Público da Paraíba ingressou com ação civil pública com pedido de liminar questionando o decreto nº 238/2020, editado pela prefeita Márcia Lucena.

Após a proibição da barreira sanitária por parte da juíza Lessandra Nara, a Procuradoria do Município de Conde recorreu apresentando agravo de instrumento com pedido liminar.

Ao derrubar a determinação da juíza, o desembargador João Benedito considerou que a gestão priorizou o bem-estar dos moradores durante a pandemia do novo coronavírus, mesmo tendo perdas de receita com o turismo. "O Município do Conde é nacionalmente conhecido no meio turístico.

As belas praias e belezas naturais localizadas em seu território são sistematicamente exploradas pelo Poder Público, que reconhece o turismo como a principal fonte de emprego e renda da população local. As medidas disciplinadas pelo Decreto Municipal nº 238/2020 ferem de morte, ao menos momentaneamente, o exercício da principal atividade econômica dos munícipes. Se, a despeito dessas circunstâncias, o agravante lança mão de postular em juízo pela manutenção da vigência da legislação restritiva, entendo que, para este, o bem-estar da população local (coletividade) é prioridade para Administração Pública neste momento, ainda que haja perda de receita tributária com o turismo."

O que havia decidido a juíza em primeiro grau
A ação foi apreciada pela juíza Lessandra Nara Torres Silva, da Vara Única de Conde. Em sua decisão divulgada ontem a magistrada analisou que "a restrição de entrada e saída de pessoas não guarda qualquer pertinência com a finalidade de conter a proliferação". Ela enfatiza também a irrazoabilidade da medida, "uma vez que nem mesmo em âmbito federal foi suspensa a circulação de pessoas em aeroportos, âmbitos que possuem maior aglomeração de pessoas, sendo tão somente adotadas medidas sanitárias, tais como amplamente recomendadas".

Diário da Paraíba com ClickPB

Nenhum comentário

Faça seu comentário

Tecnologia do Blogger.