Após saída da Tv Arapuan, Bruno Sakaue e Patrícia Rocha rechaçam negativa de reduzir salários

Os jornalistas Bruno Sakaue e Patrícia Rocha contestaram, na tarde desta segunda-feira (27), a justificativa do Sistema Arapuan para o fim do programa No A e a rescisão dos seus contratos.



Diferente do que anunciado pela emissora, os profissionais disseram que não houve recusa por de redução de salários, devido à crise econômica causada pelo novo Coronavírus. Eles informaram que a redução já havia sido feita desde março.
Os profissionais disseram que havia uma negociação em curso sobre um aditivo contratual para formalizar a redução. Foi tentado discutir e flexibilizar a situação, apontaram.
Eles denunciaram ainda que no final do expediente da última sexta-feira, a empresa reuniu os funcionários anunciando o fim do programa, sem a presença e o conhecimento dos jornalistas.
“No sábado, nossos nomes foram retirados do perfil oficial @seliganoa, inclusive, deixou de nos seguir. Tudo isso sem que, ao menos, fossemos comunicados sobre o cancelamento do programa”, comunicaram através das redes sociais.
Eles revelaram ainda uma ligação do presidente da empresa, João Gregório, para tratar do caso. No entanto, não foi feito um acordo.
“Ontem às 17h48, recebemos uma ligação na qual o presidente da empresa comunicou o fim do No A, alegando dificuldades financeiras. Tentamos argumentar, mas ele desligou a ligação. Retomamos, porém ele disse que não tinha condições de conversar naquele momento. A nós não foi dada a chance de nos expressarmos, apesar das inúmeras tentativas de dialogar, além de sermos privados de nos despedirmos do público ou pelo menos, darmos uma satisfação”, disseram ainda.
wscom

Nenhum comentário

Faça seu comentário

Tecnologia do Blogger.